O SPC (Serviço de Proteção ao Crédito) divulgou no início desse mês que a confiança do consumidor em comprar pelo comércio eletrônico aumentou. Em uma escala de 0 a 10, o resultado da pesquisa atingiu 9,3 pontos.

A pesquisa aponta que 92% dos entrevistados não possuem receio algum em comprar pela internet. Entre 2013 e 2014, cerca de 19% dos consumidores realizaram a sua primeira compra online.

Qual o motivo da felicidade dos consumidores?

De acordo com a pesquisa do SPC, os motivos que fazem os consumidores riem à toa na hora de comprar pela internet são:

  1. Comodidade em primeiro lugar;
  2. Preços mais baixos do que nas lojas físicas;
  3. Economia de tempo;
  4. Facilidade na comparação de preços;

Lojistas online estão otimistas para 2015

Segundo uma pesquisa feita com pequenos lojistas que atuam na internet, realizada pelo Ibope Conecta por encomenda do MercadoLivre, 87% dos entrevistados estão confiantes de que as vendas em suas lojas virtuais irão crescer esse ano pelos seguintes motivos:

  1. Aumento dos usuários de internet e da confiança no modelo de compra online;
  2. Popularização das compras via smartphones e tablets;

Os 12% dos lojistas que acreditam que não terão crescimento nesse ano culpam a atual situação política e econômica do País, o aumento de impostos e tributos e a alta do dólar.

2014 justifica o bom humor dos lojistas

O Ibope Conecta também perguntou aos entrevistados como foram seus negócios em 2014.

  • 34% dos entrevistados cresceram de 30% a até 80%;
  • 39% dos entrevistados cresceram de 11% a até 30%;
  • Um décimo dos vendedores dobraram seus resultados;

O tamanho da operação dos entrevistados varia: 29% estão na faixa de R$ 250 mil a R$ 500 mil de faturamento anual; 19%, entre R$ 501 mil e R$ 1 milhão; e 12% acima de R$ 1 milhão.

Vale a pena ressaltar que o setor do comércio eletrônico no Brasil ainda representa apenas 4% do varejo total, ou seja, ainda tem muitas oportunidades para crescer. Apesar do mau humor no cenário politico e econômico, a ABComm (Associação Brasileira e Comércio Eletrônico) estima que o e-commerce brazuca cresça 26% nesse ano, principalmente pelo aumento de e-consumidores: 4 milhões de pessoas devem fazer a sua primeira compra pela internet nesse ano. E por conta da percepção do brasileiro de que comprar pela Internet é mais barato que no off-line, ainda mais nesses tempos de crise.

O que os pequenos lojistas virtuais estão vendendo?

  • Eletrônicos, Áudio e Vídeo (34%);
  • Informática (27%);
  • Acessórios para veículos (25%);
  • Celulares e telefones (24%);
  • Casa móveis e Decoração (15%);

Sobre o perfil do entrevistados: 41% deles começaram a vender com a empresa já formada, 40% iniciaram como pessoa física e 19% como Micro Empreendedor individual (MEI). Após abrir o negócio online, 70% deixou o trabalho anterior para se dedicar exclusivamente na loja virtual. A faixa etária predominante foi de 26 a 35 anos com quase metade da amostra. 30% têm de 36 a 45 anos; 12% têm menos de 25; e outros 12%, mais de 45 anos. As principais regiões dos respondentes foram Sudeste (74%) e Sul (22%), seguidas por Centro-Oeste e Nordeste, com 2% cada; e Norte, com 1%.

Fonte: bizcommerce.com.br